Atividades de Organized Editing não documentadas (ou informações discrepantes) sobre enchentes do Rio Grande do Sul em maio de 2024

A EOG https://osmfoundation.org/wiki/Organised_Editing_Guidelines tem diretivas de como responsáveis por atividades que trazem pessoas novas a OpenStreetMap e as instruem a fazer edições devem documentar isso, em especial que deve ser listada em https://wiki.openstreetmap.org/wiki/Organised_Editing/Activities, ter informações de contato sobre os indivíduos que de fato organizam a atividade e cópia de explicação sobre instruções que são repassadas aos mapeadoes de como eles devem editar OpenStreetMap. Uso de fontes de dados externas também devem ser documentadas (algo que dependendo do que é , passa por necessidade de liberação de licença e processo diferente da EOG, que é o processo de importação https://wiki.openstreetmap.org/wiki/Import/Guidelines).

Sobre a pertinência de seguir todos os procedimentos da EOG, um motivo é que campanha em 2023 do Vale do Taquari, apesar de ter sido “100% validada” (motivo usado para alegar inicialmente para negar reparos dados) ao final ainda estava extremamente problemática, inclusive com dados fictício e, em menor escala, cópia do Google Maps. Tinha tipos de dados que **são impossíveis de saber sem conhecimento local **(sentido: conhecer fisicamente o lugar; não meramente “ser do mesmo país”) com auxílio de fonte listada nos changesets (Bing Aerial Maps) e nem mesmo com etapas de revisão foi resolvido. Outro problema daquela atividade é que quando eu (que sou aqui do Rio Grande do Sul; os demais não se deram ao trabalho de investigar os problemas) adicionei na Wiki a listagem de problemas em https://wiki.openstreetmap.org/w/index.php?title=Organised_Editing%2FActivities&type=revision&diff=2632438&oldid=2629836, isso foi deletado em https://wiki.openstreetmap.org/w/index.php?title=Organised_Editing%2FActivities&type=revision&diff=2633081&oldid=2632444 e os organizadores daquela época (em conflito de interesse, e sem discussão aberta) passaram a remover as reclamações, em especial links com provas que ajudam entender que o problema não é caso isolado. Sobre alegações usadas para justificar deletar conteúdo (de que “houvera uma transferência (fidedigna)”), não houve. Por exemplo, links que existem na versão que adicionei na Wiki, mas que não estão no https://wiki.openstreetmap.org/wiki/2023_Brazil_Floods os links com provas de
https://tasks.hotosm.org/projects/13594 (um HOT global validator em atividade anterior a já tinha reclamado de uso especializado, não apenas building=yes, bem como liberar iniciantes para mapearem), o https://www.openstreetmap.org/changeset/143333801 (um outro HOT Global validator que ajudou a deixar 100% validado, dessa vez sobre o projeto problemático, admitiu contactar em privado os organizadores sobre a má qualidade do resultado dos mapeamento) e o https://learnosm.org/en/coordination/tm-admin/#mapper-level (documentação do Tasking Manager falando sobre não liberar iniciantes projetos complexos porque isso sabidamente pode gerar problemas na qualidade dos dados).

Agora voltando para 2025, depois de pressão minha no Telegram, dessa vez começaram a adicionar conteúdo na Wiki (na última vez foi meses até criarem a página). Não obstante, em https://wiki.openstreetmap.org/wiki/2024_Rio_Grande_do_Sul_Floods e não fica claro quem organiza as tarefas ou qual conteúdo da página se refere a qual atividade. E tem atividades que são até divulgadas junto, mas não são documentadas na Wiki.

Vale lembrar que tanto a listagem da atividade em https://wiki.openstreetmap.org/wiki/Organised_Editing/Activities como dados de contato (como conta da OpenStreetMap) dos indivíduos que organiza atividade não só fazem parte da EOG, como foram explicitamente pedidos em público (isso referente a atividade em 2023) em https://community.openstreetmap.org/t/complaints-against-brazilian-category-moderators/110407/44 por um membro do Data Working Group.

Alguns exemplos de problemas

  1. O https://tasks.hotosm.org/projects/16696, que aparentemente seria primeira ação na região, até foi inicialmente listada em https://wiki.openstreetmap.org/wiki/2024_Rio_Grande_do_Sul_Floods, mas a pessoa que aparece no Tasking Manager como coordenadora nem mesmo é mencionada na Wiki da OpenStreetMap. Por que o material focado em convidar pessoas diz coordenação ser uma, e quando na Wiki da OpenStreetMap, diz outra?
  2. Em https://t.me/osmrs/27075 (link arquivo: https://web.archive.org/web/20240513090724/https://t.me/osmrs/27075) no meio de links para atividades (o usuário “N” é um dos organizadores da atividades do Vale do Taquari), uma delas (que já estava ocorrendo, mas não tinha sido informada antes no Telegram @osmrs) é a https://tasks.teachosm.org/projects/1605/. E essa não é documentada, e nem teve discussão prévia antes com comunidade local (contexto: é uma região com muito mais dados do que cidades menores) se deveria ou não ser feita, sem, no mínimo, restringir quem poderia editar (em especial, não liberar para gente iniciante). O problema aqui é que tem mais atividades que trazem pessoas sem conhecimento local ocorrendo do que as que o o listado na OSM Wiki
  3. A página https://wiki.openstreetmap.org/wiki/2024_Rio_Grande_do_Sul_Floods não explica como encontrar todos os changesets das atividades das atividades divulgadas. Ela documenta que usariam “#2024_BR_RS_Floods” e “#Enchentes_RS_2024”, porém não apenas o https://tasks.teachosm.org/projects/1605/ (o que é divulgado junto, mas ainda não é listado na página da Wiki) como até mesmo o https://tasks.hotosm.org/projects/16696 (que é explicitamente listado nela) não são encontradas por esses termos.
  4. É cedo para dizer (até porque tem coisa que seria precisaria eu fazer pesquisa em campo se é dado fantasioso, eu meses depois fui verificar em campo no mapeamento anterior), porém é possível ver problemas óbvios. Como um exemplo de danos aos dados das atividades ocorrendo na região, em https://www.openstreetmap.org/changeset/151101972 (a atividade não listada na Wiki) houve mass deletion (não apenas ajuste, mas apagado) de conteúdo de import de edificações prefeitura de Porto Alegre (que foi feito com imagens de resolução mais alta do que Bing usada na atividade) e que, naquela época, também já tinha sido também verificada pelo mapeador (ou seja, foi um import bem trabalhoso). Também por esse motivo que o título dessa thread é direcionado a qualquer atividade (não apenas o que começou ser listado na Wiki, mas qualquer, inclusive “arquivadas” ou que sabidamente não vão ser finalizadas, logo nem mesmo revisadas). Por exemplo, se alguma atividade individual que tiver problemas sérios nem mesmo aparecer responsáveis (ou seja, gente que se compromete a resolver problemas, e resolver logo, sem jogar responsabilidade “para comunidade local”) é motivo para reversão de todos os changesets da respectiva atividade individual sem dono.
  5. (futuro) Enfim, isso ainda não achei evidência de ocorrer neste ano (a não ser comentário no telegram sobre possível atividade fechada exclusiva para “clean up”) porém de antemão solicito aqui em público que não apenas forma de encontrar os changesets de mapeamento (por exemplo, a EOG pede documentar hashtag) como obviamente edições que corrigem o próprio mapeamento também devem ser documentadas e os os changesets devem também descrever o que é feito (porquê revisões costumam alterações em grande escala e/ou avançadas). Em atividade anterior (exemplo https://www.openstreetmap.org/changeset/144879228) , pelo menos uma parte pequena não usou qualquer identificador (isso deixou de acontecer depois que reclamei)

Has this issue been logged with the Data Working Group (with details of at least some of the infringing object IDs)? If it has, what was the ticket number?

Trazendo mais informações:

1 - o mapeamento está sendo feito de urgência, dada às enchentes que ainda estão ocorrendo no sul do país.

2 - antes mesmo de qualquer atividade ocorrer, foi deixado bem claro a importância de criar a página wiki para 2024. Telegram: Contact @osmrs Inclusive foi pedido o apoio do @fitint nesse assunto, mas o histórico de edição das páginas não mostrou nenhuma edição dele (e nem no OSM).

3 - aliás, olhando o histórico das páginas wiki, tanto em inglês quanto em português, se nota que a maioria das edições são feitas por @Raquel_Dezidério_Souto e @SeverinGeo, dois membros ativos da comunidade brasileira e que não são empregados da HOT.

4 - a página em inglês está diferente da página em português (está mais completa). É um problema ter diferentes versões em diferentes idiomas? É. Mas, por exemplo, hoje, às 1:30 da manhã da madrugada, a página em português foi atualizada, e no próprio grupo do telegram avisaram isso (“favor atualizarem a página EN para estar igual à PT): Telegram: Contact @osmrs

5 - os projetos estão sendo validados duas vezes. Ou seja, o projeto é criado, mapeado, validado e novamente validado. Além disso, está tendo o cuidado de não ter mapeadores inexperientes nos projetos. Todos os projetos foram criados há menos de uma semana, é difícil validar tudo em um curto prazo, ainda mais dado o fato que o estado do RS está debaixo d’água, e os mapeadores de lá (que podem ter um conhecimento mais local) estão com acesso ruim à internet.

6 - as páginas Wiki são abertas para todos editarem.

2 Likes

It’s another person handling the ticket than you, but I specifically mentioned on last email on [Ticket#2023112210000181]

Give a look on https://www.openstreetmap.org/changeset/141593785#map=19/-29.27182/-51.87919 and (as suggested on the ticket email) please consider any kind of standard procedure you on DWG use for data copied from Google from this validator in the region. Likely this means filter by (all at same time) 1) created/edited element by this user on this region 2) element with name and 3) element with a specialized type (like amenities). If you need very exact IDs, please reply on that ticket, I could do it for the copyright-related. Some are:

To be fair I don’t understand why their additional validation didn’t already do it, because he’s even explicitly admitting (potentially because in the previous days I was saying the entire activity with overly specific data was outright fictitious) that he was using Google Maps and Google Street View and was doing it fully remote. The other cases the most common was when I simply received no reply in changesets when I asked the source of the information added by the mapper (which I know the lack of response could also be a valid reason to remove content).

PS.: This (the problem of this validador lack of awareness with licensing issues) was the reason for me writing on the Wiki the need for them to explicitly explain on future activities to not copy from Google Maps.

Eu comentei isso no Telegram https://t.me/osmrs/27264 porém vou deixar registrado em canal aqui.

Qualquer mapeamento que envolva inferir a situação de um edificação sem visita presencial, como se foi ou não afetada por alagamento, deve primeiro ter sua metodologia explicada e, então, ter tempo para respostas da comunidade local de isso é seguro ou não de adicionar na OpenStreetMap.

Se alguma atividade com esse foco estiver acontecendo, solicito que parem imediatamente e só continue se os passos acima forem seguidos. O argumento de urgência não é válido para algo em que a metodologia nem é clara nem foi discutida em público.
A EOG https://osmfoundation.org/wiki/Organised_Editing_Guidelines, ate tolera um tempo menor para decisão se um Organized Editing pode ou não ocorrer, mas qualquer tipo de inferência dessa natureza é bem diferente de apenas deduzir se é uma edificação genérica building=yes.

De antemão, já vou dar contra argumentos que impedem simplesmente começar uma atividade desse tipo sem discussão previa.

Limitações de mera inferência por imagem aérea

De forma prática (isso pode ser observado em campo): Mesmo imagem aéreas (assumindo serem de boa resolução, e podem não ser) do momento de cheia apontar que ruas em volta de uma edificação estejam com água, isso é insuficiente para dizer a edificação foi afetada pela enchente, pois mesmo quando não estiver em uma elevação natural, em áreas quanto sofreram alagamento é mais comum as casas e prédios já terem alguma proteção adicional, como por exemplo:

  1. A edificação (sem andar subsolo) tem seu primeiro andar mais elevado em relação ao redor.
  2. A edificação tem mais de um andar, e o primeiro andar já é projetado para tolerar inundação e os andares superiores podem permanecer usáveis mesmo durante a cheia.
  3. Certos tipos de edificação da zona rural (pense por exemplo, um curral feito de madeira perto de pastagem que podem inundar), pelo menos se ainda são visíveis por imagem aérea, são tem o que ser destruído, mesmo se ficarem embaixo d’água
  4. Edificação (por exemplo, com subsolo) pode ter proteção para evitar água entrar e bombas para jogar fora água que entrou.

Além desses, também existe possibilidade (e isso pode acontecer em especial em comércio quando tem tempo para se preparar) de uso de sacos de areia perto das entradas e vedação dos canos que levam ao esgoto (sim, se a rua ficou cheia é bem provável que todos os ralos que escorriam água para o esgoto vão trazer água de volta).

Limitações de uso de alegar como fonte “mapas de área de risco”, como os baseados em elevação de terreno

Existem (inclusive com discrepância enorme) mais de uma fonte de dados com modelos de dados. Eles têm limitações semelhantes ao onde a água de fato é verificada em dado momento, porém tem limitações adicionais, como erros nos modelos.

Essas fontes, embora sejam úteis para saber a área afetada, não são suficientes para dizer que prédio específico sofreu danos. Alguns deles até explicitamente podem alterar a metodologia deles de que não podem ser usados para inferir isso.

da questão que donos de casas nas regiões alagadas tipicamente não verem esse tipo de informação aberta sem restrição como algo de interesse para eles (em especial se estiver errado)

Mesmo que a intenção de uso não seja essa, a licença da OpenStreetMap, não permite restringir se um dado adicionado nele não poderia ser usado, por exemplo, para elevar o custo seguros contra danos ou mesmo ser usado por corretores de imóveis sobre compra de imóveis que são colocados à venda.

Quando eu fui fazer checagem em campo de Arroio do Meio sobre dados fictícios, embora comércio e prédios públicos sejam ok, quando fui fazer amostragem de domicílio, é diferente. Eu cheguei a ser hostilizado por uma moradora de uma edificação marcada errada como building=house no terreno dela. Considerando que agora seria explicitamente sobre edificações serem ou não danificadas (por exemplo, se for feito sem todo processo que estou requerendo), e que a introdução explicando que é OpenStreetMap envolve explicar como alternativa ao Google maps que já é usado por grandes empresas, a resposta deve bem mais negativa.

Durante desastres, existe uma expectativa de privacidade de dados (o que certamente afeta a liberação de posição exata por quem faz as verificações para dar benefícios às pessoas afetadas). Embora OpenStreetMap não tenha (sem que seja feito cruzamento de dados) dados de identificação como nome dos habitantes das casas, as pessoas podem querer que tenha consentimento prévio delas para por essa informação pública sem restrição. Não tem como saber o futuro, porém meu requerimento de que seja feito formal e que tenha bem claro quem são os responsáveis é porquê tem chance significativa de ter uma reação negativa das pessoas, e é justo que sejam informados quem são responsáveis.

It is - but it’s hidden 33% of the way down an 8000-word entry. There are 5 of those on the ticket, which in total approach booker-prize-winning novel length. It wouldn’t surprise me if your DWG correspondent hasn’t got to that bit yet.

Edit: Using that “reading time” site’s guide, it would apparently take someone 33 minutes just to read what you wrote in your last submission (without actually doing anything about it). That isn’t a sensible use of anyone’s time.

É um trabalho colaborativo, é assim que o OSM funciona. Não vejo como problema pois é tão somente alguem que se prontificou a ajudar criando a tarefa que muitos membros do grupo acharam por bem montar diante da situação. Uns ajudam com uma coisa, outros com outra, de forma a não sobrecarregar somente uma pessoa.

A maior parte das geometrias não requerem que se tenha conhecimento local para serem mapeadas, basta imagens aéreas. A ressalva que faço aqui é que se evite editar áreas que já estão com o mapeamento ok, principalmente se tiverem dados de alta qualidade importados, como os que tu citou em Porto Alegre.

Tem muita coisa que bastaria tu mesmo editar ou pedir que se ajuste. Tu sabe, mas não custa reforçar, a wiki é construída de forma colaborativa. Falta de hashtags podem ser reportadas diretamente aos gerenciadores das tarefas no Tasking Manager através dos contatos lá listados, ou no próprio grupo. Talvez tu tenha feito isso em meio a longas mensagens e tenha passado batido.

Fico pensando como poderiamos fazer para concentrar informações de locais onde tem geometrias que foram mapeadas em alta qualidade e que se deveria desencorajar a modificação delas, portanto, deixando de fora de projetos de mapeamentos organizados. O problema é que não é algo uniforme no Brasil, tornando difícil para quem montar as tarefas saber de todas essas variáveis. Creio que seria útil, para evitar que tarefas sejam montadas nessas áreas, a criação de um umap com a delimitação delas, bem como a descrição do que já está mapeado em alta qualidade.